Home

Educação: nenhum a menos
Rovena Rosa

Todo indivíduo precisa de muito amor, atenção, cuidado e proteção, independentemente de ter ou não qualquer tipo de deficiência. O que mais atrasa o desenvolvimento de uma pessoa com deficiência é mantê-la isolada ou tratá-la de forma diferente das outras. Conviver com a diversidade é fundamental na formação dos cidadãos.

Isto significa que as escolas, públicas ou privadas, não podem excluir ninguém, seja qual for a sua origem, raça, sexo, cor, idade ou qualquer tipo de deficiência. A educação inclusiva busca cumprir o direito, garantido pela Constituição brasileira, de toda criança e adolescente ao acesso à rede regular de ensino até que complete o ensino fundamental.

Quando não aceitam crianças deficientes, as escolas descumprem a lei e, por isto, podem ser multadas e punidas "Isto está começando a acontecer. Elas têm obrigação de capacitar os professores, com apoio da Secretaria de Educação, para receber as crianças com os mais variados tipos de deficiência em sala de aula”, esclarece o radialista Marcus Aurélio de Carvalho, diretor executivo da ONG União e Inclusão em Redes de Rádio (Unir).

Ele conta sua experiência pessoal, como deficiente visual, cego de um olho e com 10% de visão de outro: “Eu ganhei muito em ter convivido em escola regular, porque tive o carinho dos carinhosos e a hostilidade dos hostis. Ou seja, fui preparado para o mundo real. Essa é mais uma vantagem da educação inclusiva.”

Adaptações nas escolas

Mas não são só os professores que precisam se capacitar. Reformas na estrutura do prédio e aquisição de equipamentos e materiais específicos são importantes para tornar a escola um local de aprendizado para todos.

As instituições de ensino devem eliminar todo tipo de barreira que impeça o acesso. Rampas nas escadas, elevadores, banheiros e salas adaptados para os deficientes motores – aqueles que têm dificuldade de locomoção ou que precisam de cadeira de rodas.

Para os cegos, são necessários livros em braile e programas de computador que permitam ouvir livros digitalizados e também o que escrevem no teclado. Para quem tem baixa visão, ou seja, enxerga apenas um pouquinho, a professora pode aumentar a letra das lições feitas em sala de aula. Também a educação física deve ser adaptada para os diferentes tipos de deficiência.

A língua brasileira de sinais (Libras) deve ser usada nas turmas que tiverem alunos surdos. A ideia que é as escolas se tornem bilíngues e que daqui a algum tempo todas as pessoas saibam se comunicar também por gestos.

Deficiência intelectual

O atendimento educacional especializado para alunos com deficiência intelectual conta com aulas extras em salas especiais para promover o desenvolvimento no ritmo de cada criança e jovem. Todos os alunos têm habilidades naturais, potencialidades e dificuldades que devem ser levadas em conta no contexto escolar.

Na opinião de Márcia Pletsch, professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), os conteúdos pedagógicos atuais estão desatualizados. “É preciso fazer adaptações no currículo para os deficientes intelectuais”, diz. Todos devem ser estimulados ao máximo, mas o desempenho dependerá do que cada um seja capaz de aprender. "Temos que começar a fazer um planejamento educacional individual de médio e longo prazo”, avalia a professora, que tem formação em Educação Especial, com habilitação em deficiência mental.

Formação de professores

Para Márcia Pletsch, falta colocar em prática a educação de qualidade para todos. “A legislação do país é muito avançada. Se tudo isso fosse implementado, se houvesse investimento, seria outra realidade. Mas o que vejo hoje nas escolas é que os professores não têm base teórica. O curso de pedagogia oferece uma formação muito generalista. Precisamos investir em formação inclusiva.”

Os alunos sem deficiência devem receber orientações dos professores sobre como acolher adequadamente esses colegas em suas necessidades. Assim, as pessoas vão conhecendo e aprendendo a conviver com a criança com deficiência, com o respeito que ela merece. E ao mesmo tempo, todos os indivíduos são preparados para a cidadania.

Comentários

oie, eu sou surda eu quero escola.

Comentar

Voltar