Home

'Homens de ferro'
Patricia Moreira

‘Médico? Só quando estou doente e olhe lá!’ É assim que a maioria dos homens brasileiros age em relação à sua saúde. Para mudar essa cultura, o Ministério da Saúde desenvolveu a Política Nacional de Saúde do Homem. A ideia é chamar atenção para um fato que se tornou um problema de saúde pública: a cada três mortes de pessoas entre 20 e 59 anos, duas são de homens. Eles vivem, em média, sete anos menos do que as mulheres e têm mais doenças do coração, câncer, diabetes, colesterol e pressão arterial elevada.

O médico hebiatra (especialista em adolescentes) Felipe Machado Fortes constata, na prática, essa falta de cuidado dos jovens com sua saúde. Mas as dificuldades não são apenas deles. Segundo o médico, muitas vezes, o próprio sistema de atendimento dos postos de saúde não é receptivo aos homens jovens. Além disso, em muitos casos, o profissional também está despreparado ou tem dificuldade de lidar com esse público, diz Fortes, que integra a equipe de atenção primária do Núcleo de Estudos da Saúde do Adolescente da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Nesa/Uerj).

“Apesar desses problemas, o menino tem que começar a cuidar da sua saúde e se apropriar dela. É preciso reverter essa cultura de que homem não vai ao médico”, ressalta. Alimentação, exercícios físicos e sexualidade são, na sua opinião, os temas que merecem mais destaque nas conversas com os adolescentes.

Homem na cozinha

“De modo geral, a alimentação do jovem é muito ruim. É a prática do consumo de fastfood ou de alimentos com excesso de gordura. Frequentemente, eles alegam que a família tem esse hábito alimentar e eu sempre questiono: por que você não vai para cozinha? Quem sabe você não propõe uma alimentação diferente? Já pensou em pegar uma receita na internet, conversar com os amigos? Alimentação é criatividade. Vamos começar a ter uma ação mais ativa nessa escolha da alimentação da família”, propõe.

Mesmo já não sendo novidade a importância da prática regular de exercícios físicos, o médico observa que o sedentarismo entre os adolescentes vem aumentando. E em relação a esse assunto, a principal dúvida apresentada por eles nas consultas médicas é sobre a musculação. De acordo com Felipe Fortes, o adolescente pode fazer musculação, mas sempre sob orientação de um profissional, de preferência capacitado para o atendimento de jovens.

“Infelizmente, existem locais e pessoas que não atuam de forma séria e acabam incentivando e vendendo substâncias, como esteróides anabolizantes, o que é absolutamente perigoso para a saúde dos jovens, além de ser um ato criminoso. O uso de tais substâncias pode ter um efeito terrível na saúde dos jovens, sendo capaz de causar irritabilidade, impotência, câncer do fígado e até a morte”.

Fases do desenvolvimento

O início da puberdade – momento da vida em que começa o desenvolvimento do corpo adulto – inicia-se no menino pelo crescimento dos testículos e pode acontecer em idades diferentes, variando dos 11 aos 14 anos. Essa diferença, muitas vezes, traz dúvidas e angústias para os jovens. Por isso, a consulta médica periódica, pelo menos uma vez por ano, é importante para avaliação do crescimento. “Às vezes, atendo meninos com 13 anos que ainda têm a genitália infantil e eles chegam preocupados porque o amigo de 12 anos já tem quase barba no rosto. Isso é normal, porque cada um tem seu ritmo. A finalidade da consulta é justamente esclarecer essas dúvidas e fazer a avaliação do adolescente quanto ao seu peso, altura, desenvolvimento da puberdade, entre outras questões”, explica o médico.

Outra situação comum na adolescência dos meninos é a ginescomastia, ou seja, apresentam um pequeno crescimento das mamas, que ficam maiores e, às vezes, doloridas. Pode ocorrer em uma só mama, nas duas ou começar em uma e depois atingir a outra. Isso acontece em aproximadamente 50% dos adolescentes, e o motivo são os hormônios liberados nessa fase. A ginecomastia costuma regridir espontaneamente até o final do desenvolvimento do menino e, nos casos em que não há regressão, o tratamento é cirúrgico. “É uma cirurgia rápida, tranquila, em que se retira o excesso de tecido mamário”, afirma Felipe Fortes.

Comentários

Eu tenho sangramento no pênis e coceira o que devo fazer

Oi doutor eu percebi que apareceu duas bolinhas vermelhas como se fosse uma machucadinho tipo aquelas da afeta ela doe quando meche mas quando nao meche ela concha um pouco eu estou preocupado vc pode .me ajudar

Olá, agradecemos por seu interesse pelo Fiojovem e por enviar um comentário. Orientamos que procure um médico para diagnosticar o seu caso e indicar um tratamento, caso necessário. Pode ser um hebiatra (médico que cuida de adolescentes), um clínico geral, um urologista (médico especializado no sistema urinário, de ambos os sexos, e no sistema genital masculino) ou um pediatra. Abraços, Equipe Fiojovem

Quando eu tinha 14 anos limpando o banheiro de casa acabei derrubando disifetante no meu pênis tudo bem,ai des de lah apareceu umas bolinhas não DOI .mas cosa as vezes,mas agora apos 4 anos uma delas inchou ficou vermelho ao redor e agora estourou da medo sabe.PFv me ajuda oq pode ser?? Nunca tive relação!

Ola meu penis na cabeca apareceu umais manchas vermelha e uma carocinho ou num sei o que fazer que remédio devo passar. Em cima

a glande do meu penis esta um pouco roxa(mais q o normal) e ando sentindo dores qdo tenho ereção, isso vem acontecendo a 30 dias , logo depois de eu ter machucado o freio do penis(esse ja sarou), fui no urologista,ele me passou a pomada cortitop pra sarar o freio, mas ficou essa dor na glande, o que pode ser?

ola a um 2 meses atrás saiu na pelo do meu pinto um caroço, espremi, mas não valeu nada, agora tem aparecia de tamanho bem maior, a principio coloquei gelo, ai sumiu, ma agora voltou, e esta situado só na pelo que cobre a glande, e por sinal tenho muita pele. mas atenção nunca tive fimose,

Comentar

CAPTCHA
Esta pergunta é para testar se você é realmente uma pessoa.

Voltar